A Voz Suprema do Blues: eleito o melhor filme no Black Film Critics Circle


(Reprodução - Netflix)

O filme de George Wolfe, adaptado da peça de August Wilson de 1984 e que está no catálogo de filmes originais Netflix, ganhou melhor filme, melhor ator (com o grande Chadwick Boseman), melhor atriz (Viola Davis) e melhor roteiro adaptado (roteiro de Ruben Santiago-Hudson).


Outros vencedores foram Uma Noite em Miami com Regina King (melhor diretor, em um empate), Leslie Odom, Jr. (melhor ator coadjuvante) e elenco (melhor conjunto); Chloe Zhao do Nomadland (melhor diretor, em uma gravata); Yuh-Jung Youn de Minari (melhor atriz coadjuvante) e roteiro (melhor roteiro original); Tenet (melhor cinematografia); Soul (melhor filme de animação); e Noite dos Reis, da Costa do Marfim (melhor filme estrangeiro).


"Em um dos anos mais tumultuados da história, vimos a amplitude e o escopo de histórias sobre pessoas de cor que são literalmente incomparáveis ​​na história do cinema", disse o co-presidente da BFCC, Mike Sargent, ao The Hollywood Reporter. "A diversidade contínua e cada vez maior de filmes que contam as histórias coletivas de pessoas de cor é surpreendente. O mundo continua a declarar com muita força que as histórias negras são importantes."


Os 25 membros do BFCC, que são todos "críticos de filmes de cor de jornais diários, jornais semanais, revistas, rádio, televisão e publicações online qualificadas", também votaram para determinar uma lista dos dez primeiros no final do ano. Suas escolhas? Depois de Ma Rainey no primeiro lugar:

(2) Minari

(3) Nomadland

(4) Uma Noite em Miami

(5) Soul

(6) Judas e o Messias Negro

(7) Da 5 Bloods (Destacamento Blood)

(8) Os 7 de Chicago

(9) Som do Silêncio

(10) The 40-Year-Old Version e Sylvie's Love, em um empate.


E aí? Já assistiu quais desses filmes? O que achou de A Voz Suprema do Blues? Conta pra gente!