Crítica - Bom Dia, Verônica


Quando você assiste essa série, o nome pelo qual ela foi batizada parece nada mais que um pedido irônico, pois a última coisa que a nossa personagem Verônica tem é um bom dia. A nossa heroína é uma escrivã que trabalha numa delegacia de homicídios em São Paulo, é casada e tem dois filhos. Mas a sua rotina muda completamente quando ela presencia uma cena assustadora no trabalho e na mesma semana ainda recebe um telefonema de uma mulher desesperada por ajuda.


Caso ainda não tenha assistido, se prepare para ver uma série que não tem medo de mostrar a realidade cruel de muitas pessoas que as vezes estão ao nosso redor, passando por situações parecidas e nem fazemos idéia. Alerta de gatilho e uma montanha russa de emoções.


"Bom dia, Verônica" é uma série dividida em 8 episódios que tem em média 45 minutos de duração e é baseada em um livro de mesmo nome, escrito por Andrea Killmore (pseudônimo de Ilana Casoy e Raphael Montes), que inclusive são também os roteiristas da série. Dirigidos por José Henrique Fonseca, o elenco é uma das grandes forças da produção. Tainá Muller e Camila Morgado dão um show ao transmitir o que suas personagens estão sentindo. Mas o destaque mesmo ficou com Eduardo Moscovis que faz você odiar o seu personagem com todas as forças.


Apesar de ser uma série incrível, com temas que valem muito a pena serem discutidos, "Bom dia, Verônica" sofre com alguns problemas, como os diálogos que em alguns momentos são muito expositivos e trazem um incomodo por não transmitirem naturalidade ou situações e rivalidades que parecem gratuitas e sem profundidade. Falta de naturalidade essa que são ressaltadas também pela ausência de ambiguidade nos personagens que parecem ser totalmente bons ou ruins e que não sofrem consequências em suas ações.


A série está longe de ser ruim por isso, pelo contrário, é uma excelente produção com um final surpreendente, chocante e que deixa abertura para uma segunda temporada que particularmente, espero que seja logo confirmada para que possamos ver mais da Verônica.


Nota: 3 acarajés e um abará.


por: Maurício Veloso