Crítica - Estou Pensando em Acabar com Tudo

Atualizado: 14 de dez. de 2020




Uma jovem vai com o namorado conhecer os pais dele numa fazenda remota e embarca em uma viagem pra dentro do seu próprio psiquismo.


Essa é a sinopse de um dos filmes mais recentes da Netflix “Estou Pensando em Acabar com Tudo” dirigido e roteirizado por Charlie Kaufman (roteirista de o brilho eterno de uma mente sem lembranças) e estrelado por Jesse Plemons, Jessie Buckley, David Thewlis e a maravilhosa Toni Collette.


Estou pensando em acabar com tudo é um filme no mínimo desconfortável, que convida o seu espectador a prestar o máximo de atenção aos mínimos detalhes apresentados durante suas 2h14min de duração. O filme apresenta diversos elementos que ao mesmo tempo que parecem ser reais também podem ser frutos de uma mente danificada.


Com algumas boas referências, uma fotografia muito feliz, enquadramentos e ângulos que passam muito bem a mensagem de um filme claustrofóbico/apertado, “estou pensando em acabar com tudo” é sustentado principalmente por seus ótimos diálogos e excelentes atuações de um elenco muito bem escolhido e dirigido por Kaufman, este filme prende sua atenção principalmente pela curiosidade de entender o que está se passando já que durante boa parte do filme nada parece fazer sentido e os eventos parecem ser cada vez mais desconexos.


Caso seja uma pessoa que senta pra assistir um filme e não quer ficar pensando sobre e tentando entender o que você acabou de assistir, este filme não é para você. Mas, se você gosta de ser desafiado a entender, discutir e pensar sobre as diversas possíveis mensagens que o filme te passa, com certeza esse será um dos melhores filmes do ano (até então).


Nota: 4 acarajés com tranquilidade!


escrito por: Maurício Veloso