Crítica - Abaixo de Zero


Quando a gente vai assistir um filme de ação, fica aquela expectativa de que seja frenético e que prenda quem assiste do começo ao fim. Abaixo de Zero é um longa-metragem de ação/suspense que cumpre demais esse papel e oferece muito mais do que tiro, porrada e bomba.


O filme conta a história de uma transferência de presidiários que caem numa emboscada. A história dos presos, dos policiais que fazem a transferência, o contexto e a motivação da armadilha trazem várias nuances que fazem gerar empatia com todo mundo (ou quase) e questões, desde justificativas para cometer delitos, até a falha na justiça - algo que é um problema mundial - faz com que esse filme ganhe muito mais relevância do que apenas tiro, porrada e bomba.


As atuações são ótimas e de uma sintonia absurda, principalmente pelo fato de todos os personagens na trama são totalmente diferentes entre si. Por conta disso, o espectador termina torcendo por quem não deve, para de torcer, torce de novo... Tudo por conta dos altos e baixos que o roteiro traz, tornando o filme imprevisível do começo ao fim. Definitivamente, esse filme não é só apenas tiro, porrada e bomba.


O filme tem a dosagem de ação e suspense acertada e a fotografia - às vezes em tons quentes contrastando com o clima extremamente gelado, onde o filme é ambientado - é competente nessa parte, mas não é a melhor coisa do mundo. Apesar disso, definitivamente é a última coisa que vou cobrar de um filme que consegue lhe prender até a última cena, principalmente por conta de vários plot twists, mostrando que ótimos filmes de ação e suspense não precisam ter apenas tiro, porrada e bomba.


Nota: 5 acarajés, com uma ressalva: Se o Pica Pau tivesse comunicado a polícia, isto nunca teria acontecido.