Crítica - Alma de Cowboy

Cavalos, família, amigos, comunidade, escolhas e mais cavalos. Esse é núcleo de Alma de Cowboy, lançamento recentemente da Netflix e se trata sobre um adolecente rebelde que se encontra largado numa resiliente comunidade de cowboys urbanos negros do norte da Philadelphia, fazendo com que ele aprenda valores e sentimentos que nunca teve.

No começo do filme somos logo apresentados ao nosso garoto-problema Cole (Caleb McLaughlin), que faz a sua mãe Amahle (Liz Priestley), cansada de tantas tentativas dadas ao filho, pegar a estrada de Detroit até a Philadelphia e levar seu filho até o pai Harp (Idris Elba), que ele nunca viu, na tentativa de que o pai “consertasse” o menino. O longa, em parte, gira em torno de suas relações, desde o velho amigo Smush (Jharrel Jerome) até a difícil relação com seu pai, que não tem muito jeito pra isso, pelo menos no começo.


Como um todo, o filme é muito bom em retratar a história que se propõe a contar, fazendo com que cada personagem apresentado tenha sua importância, tanto para o contexto quanto para a narrativa em si. O que me deixou feliz foi eles terem falado sobre a real história dos cowboys e como sempre Hollywood embranquece eles, sendo que sua maioria eram de negros e hispânicos, além de falar como o termo “cowboy” já era racista e empregado pelos senhores da Casa Grande para com os escravos. Tendo uma direção boa, com várias cenas intimistas e bem próxima dos personagens, o longa consegue passar bem o sentimento de pertencimento daquele povo ali retratado mostrando que os cowboys ainda existem e resistem. Todo esse sentimento é repassado pelo elenco que também conta com verdadeiros cowboys da Rua Fletcher como a Esha (Ivannah-Mercedes) e o Paris (Jamil Prattis) que atuam muito bem durante a película. Menção honrosa para a fotografia que também fundamenta com maestria o que as cenas querem passar.

Caso queiram saber mais sobre a história não contada dos cowboys, deixo uma matéria em inglês da ABC publicada no ano passado sobre o assunto: https://abcnews.go.com/US/black-hispanic-riding-clubs-cowboy-identity-aliveafter-centuries/story?id=72518268 Ah! E assistam até o final, incluindo os créditos. P.S.: Eu queria ouvir Old Town Road de Lil Nas X na trilha do filme. Cairia como uma luva.

Nota: 4 acarajés cortadinhos no prato e 1 litro de guaraná.


Ficha Técnica:


Título Original: Concrete Cowboy

Duração: 111 minuto

Ano produção: 2020

Estreia: 02 de Abril de 2021

Distribuidora: Netflix

Dirigido por: Ricky Staub

Classificação: 16 anos

Gênero: Drama

Países de Origem: EUA / Reino Unido

Elenco: Idris Elba, Caleb McLaughlin, Lorraine Toussaint, Jharrel Jerome, Method Man, Ivannah-Mercedes, Jamil Prattis, Byron Bowers, Liz Priestley