Crítica - Coração de Fogo

Não é novidade pra ninguém que desenhos animados são o meu fraco, afinal, quem conversa comigo por dez minutos que seja, já tem noção da minha paixão pela arte em 2D. Contudo, quando feita com responsabilidade, animações alcançam patamares que muitas vezes pensamos apenas serem possíveis atores em carne e osso. Esse é o caso de Coração de Fogo (2022), longa onde acompanhamos Georgia Nolan, uma garota que só tinha um sonho: se tornar um bombeiro (no masculino mesmo). Mas, nos anos 30, mulheres não poderiam exercer essa função, levando-a disfarçar-se de homem, o destrambelhado “Joe”, e infiltrar-se na equipe de seu pai, um ex-bombeiro aposentado, na busca por um incansável incendiário cujas labaredas roxas andam aterrorizando a cidade e sumindo com todos os demais bombeiros.


É fácil dizer que o enredo do longa é gostoso de assistir, não pecando em demonstrar por A + B o quanto o esforço individual e em equipe pode trazer o sucesso. Porém, mais que isso, trazendo a profissão de bombeiro para à luz da trama (algo que pouco é feito, afinal, posso contar nos dedos de uma mão séries ou filmes que abordam os nossos combatentes de vermelho), e especificando a situação das mulheres na época e sua conquista por espaços necessários e suas competências tão validas quanto às masculinas, Coração de Fogo pode e deve ser considerada uma inspiração para jovens mentes, um filme definitivamente feminista.

Ademais, é interessante a forma como o filme trata a questão monoparental masculina, dando um enfoque saudável e objetivo, além de realista, para o Capitão Nolan, pai de Georgia, homem que abandona as sirenes e o capacete para se dedicar à costura, propondo uma vida de mais segurança a garota, mesmo que o fogo do desejo por cuidar de todos os cidadãos sempre estivesse com ela desde muito nova. Outro ponto importante é demonstrar diversas faces dos demais participantes da equipe, onde coragem e responsabilidade são adjetivos adquiridos e não inatos.


O único ponto baixo do filme, pelo menos ao meu ver, é a trilha sonora extremamente apagada, pouquíssimo memorável, pois até mesmo os pontos de encaixe de comedia são bem colocados, ainda que talvez passem um pouco do necessário para um espectador mergulhado demais no lado da seriedade do tema.


De qualquer maneira, Coração de Fogo é simplesmente um filme muito bom, que merece ser visto na telona com uma pipoca grande no colo! Porém, não se esqueça de ficar também até os créditos subirem, afinal, uma homenagem à todas as mulheres, membros da força de bombeiros mundial também é feita!


Nota: 4 acarajés.

Ficha Técnica

Título Original: Fireheart

Elenco: Olivia Cooke, Kenneth Branagh, William Shatner, Laurie Holden, Kevin Dennis, Dawn Ford

Direção: Theodore Ty, Laurent Zeitoun

Roteiro: Laurent Zeitoun, Jennica Harper, Daphne Ballon

Produção: Valérie d'Auteuil, André Rouleau, Laurent Zeitoun, Yann Zenou

Ano: 2022

Classificação: Livre

Gênero: Animação, Aventura

Duração: 92 minutos

País de Origem: França, Canadá