Crítica - Cry Macho: O Caminho Para Redenção



Quando se pensa na soma de Clint Eastwood e filmes de faroeste, imagina-se em grandes obras do cinema, como por exemplo a Trilogia dos Dólares. Inclusive a música Clint Eastwood - Gorillaz tem esse título porque sua letra possui inspiração na tal Trilogia dos Dólares - principalmente do último filme: Três Homens Em Conflito (para os mais íntimos, O Bom, O Mau e o Feio) - e citei a música por dois motivos: mostrar a relevância da obra, que inspirou muitas outras, e que eu não tenho muito do que falar de Cry Macho: O Caminho Para Redenção.


O longa é inspirado no livro homônimo, de N. Richard Nash, lançado em 1975 e é o período em que se passa o filme. Na minha cabeça, o filme se passar nesse período é a justificativa para que se mantenha o estereótipo do latino em Hollywood, embora seja inegável que, nos últimos anos, o próprio Clint Eastwood esteja envolvido em obras que descaracterizem "fantasmas" do passado e que tragam problemáticas relevantes. A trama é mais um desses exemplos, que conta a história de um peão de fazenda machão que descobre a habilidade ter sentimentos... Mas esse texto é sobre o filme, não sobre a carreira de Clint Eastwood.


A trama se passa, em sua grande parte, no interior do México e conta a história de Mike (Clint Eastwood) indo atrás de Rafo (Eduardo Minett), um jovem que aprendeu a não confiar em ninguém. Rafo é filho do patrão do Mike, cujo qual promete uma vida melhor a qual o jovem leva na Cidade do México. Sinopse dita, agora é a hora que digo que o filme é um drama nível Sessão da Tarde, onde tem umas lições de moral aqui e ali, tais como o poder de confiar nas pessoas, que nem todo mundo é mau nesse mundo e que nem todo mundo é bonzinho, etc.


Além disso tem um final meio clichê (meio de metade, mesmo. 50%), mas nada de tão inovador no gênero de drama. Pela ambientação ser de interior, ela é simplista. As atuações são ok, com exceção do Eduardo Minett, que tem uma atuação pouco acima da média e o Macho, o galo do Rafo que tem mais carisma que todo mundo do filme. A direção é boa. A fotografia não é em tons de sépia... Enfim, é um filme bonzinho. Exceto se você for grande entusiasta de Clint Eastwood, pode esperar chegar na Sessão da Tarde pra assisti-lo.


Nota: 2 acarajés e um abará


Ficha Técnica


Nome: Cry Macho: O Caminho Para Redenção (Cry Macho)

Gênero: Drama/Faroeste

Duração: 1h40min

Elenco: Clint Eastwood, Eduardo Minett, O Galo, Natalia Traven, Dwight Hoakam, Horacio Garcia Rojas, Fernanda Urrejola

Roteiro: Nick Schenk, N. Richard Nash

Direção: Clint Eastwood

Produção: Clint Eastwood

Distribuição: Warner Bros.