Crítica - Dawn FM (The Weeknd)

Esse álbum do The Weeknd, Dawn FM, é tudo que o Grammy não queria.

Com esse monstro boicotando a premiação, a cerimônia de 2023 não terá, indiscutivelmente, um dos melhores lançamentos do ano na disputa. Tudo isso "apenas" pelo motivo da academia ter esnobado o álbum After Hours, mundialmente amado, de The Weeknd que recebeu zero indicações, inacreditavelmente.


Mas o foco aqui não é esse.


O quinto álbum do The Weeknd é deveras uma continuação sonora e temática de After Hours.


Dawn FM é apresentada como uma estação de rádio para ser ouvida em meio ao trânsito.


O apresentador é apenas e somente, o ator Jim Carrey.


Embora esses interlúdios e comerciais pareçam enigmáticos ou um mistério a ser resolvido, eles não ofuscam as 16 faixas. Em muitos momentos me lembrando o Off the Wall de Michael Jackson e, o produtor maravilhoso desse álbum, Quincy Jones, aparece na Dawn FM para um interlúdio falado sobre relacionamentos fracassados. Queria falar sobre Take My Breath, que fez sua parte e conquistou os tops mundiais, abrindo caminho para esse álbum. Além de tudo, achei incrível a ideia de trazer a versão do álbum estendida, dando uma sensação de algo novo, mesmo que não tanto. Mas sinto e realmente acredito que a maior força do álbum estaria entre How Do I Make You Love Me? e Sacrifice (que vai ter clipe).


How Do I Make You Love Me? é um negocio totalmente synth-pop empolgante e dançante totalmente anos 80, enquanto o Sacrifice é levada por um loop de guitarra funk delicioso que, com certeza, vai te fazer querer dançar. Na verdade, todo esse álbum tem esse poder de te fazer querer dançar ou se balançar aonde quer que esteja. Recomendo cautela ao ouvir Dawn FM em público (ou não). Eu mesmo devo ter pagado um super mico no metrô ouvindo essa obra-prima a caminho de casa. Dawn FM também se beneficia do envolvimento crescente do Oneohtrix Point Never no trabalho do The Weeknd. Depois de colaborar primeiro em três faixas de After Hours, o produtor, que compôs a excelente trilha do filme Joias Brutas (protagonizado pelo Adam Sandler), empresta sua sensibilidade cinematográfica a grande parte de Dawn FM.


Viajei demais ao ouvir Gasoline, uma sensação de discoteca onde as batidas são bem frias e "secas", acompanhadas de um vocal muito interessante do The Weeknd. Só não sei dizer se foi a melhor escolha para "abrir" o álbum. A produção no geral é impressionante, mas essa narrativa lírica vai pegar os fãs de jeito, trazendo inúmeros conteúdos para YouTube com teorias ou o que quer que seja.


After Hours fez o cantor admitir as falhas e sentir as feridas causadas por seu status antigo. Aqui em Dawn FM vemos bastante sobre a sabedoria que vem com essa aceitação. Nesse momento, a imagem envelhecida do cantor na capa do álbum me pega, esse tipo de autoconhecimento vem com o tempo e maturidade.


Em Out of Time, The Weeknd reflete justamente sobre as lições aprendidas em um relacionamento: "Nos últimos meses, tenho trabalhado em mim, baby. Há muito trauma em minha vida".


"Lamento não ter te contado. Agora não posso evitar que você o ame. Você se decidiu."


É uma linha de pensamento seguida na, também maravilhosa, Starry Eyes, onde ele toma a iniciativa: “Deixe-me amá-lo como você precisa e farei disso minha responsabilidade. Eu estarei lá a cada passo do caminho. ” A tensão emocional que percorre a carreira do The Weeknd provém daquela busca eterna por um conceito de felicidade e o medo de sua perda, quando alcançada.


E isso vem junto com a ultima faixa (musical) de Dawn FM, Less Than Zero. Enquanto a melodia traz uma sensação de "alegria" The Weeknd se questiona sobre o que essas essas coisas positivas significam. “Não consigo me livrar dessa sensação que rasteja na minha cama, tento disfarçar”, diz ele no verso final.


“Mas eu sei que você me conhece, tento lutar contra isso, mas prefiro ser livre.”


Enfim, After Hours definitivamente o primeiro grande álbum pop de quarentena. Dawn FM pode vir como representação de um mundo que ainda esta se recuperando e aprendendo com os erros.


Nota: 5 Acarajés