Crítica - Enola Holmes 2

"Some of what follows is true.

The important part at least."



"Alguns dos acontecimentos a seguir são reais.

As partes importantes, pelo menos."


Com essas áspas, Enola Holmes 2 se inicia e a Netflix credita o filme nos gêneros de "mistério" e "filmes sobre questões sociais". Isso é mais do que suficiente para mostrar a verdadeira intenção da produção, visível no fato da trama principal ser a jovem detetive resolvendo o mistério de encontrar Sarah Chapman (um excelente holofote para um evento acontecido em 1888, conhecido como Matchgirls' Strike).


Dá para entender o trabalho da Nancy Springer (autora dos livros que inspiram o longa) quando se conhece a obra do Sir Arthur Conan Doyle (autor dos livros que inspiram os livros que inspiram o longa. Não se perca). Muito dos mistérios solucionados por Sherlock Holmes dialogam diretamente com o tempo em que lhe é retratado, como parte dos planos do professor Moriarty tendo uma ligação direta com uma iminente I Guerra Mundial.


Voltando a falar de Enola Holmes (o livro), é importante relembrar o conceito: contar as aventuras da irmã mais nova de Sherlock para o público infanto-juvenil. Isso implica em Enola Holmes (os filmes) que são filmes bobos. Me agradam muito, mas são bobos. Sei de gente que assistiu o primeiro umas 15 vezes (e repetirá o feito com esse segundo), assim como conheço várias pessoas que não conseguiram terminar o primeiro (e repetirá o feito com esse segundo, caso dê uma nova chance).


Esses dois filmes protagonizados pela Millie Bobby Brown seguem a mesma linha de fazer um filme divertido de mistério, com humor e piadas, quebra de quarta parede, cenas de flashback mostrando a personagem da Helena Bonham Carter ensinando coisas para Enola criança, um clima de romance e um pouco de trocação de soco. Se você gostou do primeiro, vai gostar bastante do segundo.


O que tem de diferente entre os dois filmes é uma participação maior de Henry Cavill como Superman Detetive. Algo muito aguardado depois do primeiro longa era ver mais do ator sendo o detetive Sherlock Holmes, levando em conta que ele só tinha aparecido "apenas" como irmão da Enola.


Um dos diálogos finais mostra que Enola não quer ser sombra de Sherlock. Levando em conta o conceito da obra, eu estou de acordo com isso, apesar dos créditos finais indicarem que ainda teremos detetive Sherlock (e outras galeras) num possível Enola Holmes 3. Daqui até lá, temos dois filmes divertidos no pique Sessão da Tarde, com propostas similares e uma execução bem acertada. Boba, mas acertada.


Nota: 4 acarajés (mesma nota que dei ao primeiro filme, cujo texto está aqui)


Ficha Técnica


Nome: Enola Holmes 2

Gênero: Aventura, Mistério, Drama

Duração: 2h10min

Elenco: Millie Bobby Brown, Henry Cavill, David Thewlis, Louis Partridge, Helena Bonham Carter, Susan Wokoma, Adeel Akhtar, Sharon Duncan-Brewster

Roteiro: Jack Thorne. Baseado na obra de Nancy Springer, que é baseada na obra de Arthur Conan Doyle

Direção: Harry Bradbeer

Produção: Millie Bobby Brown (uma máquina), Paige Brown (irmã da máquina)

Distribuição: Netflix