Crítica - Escape Room 2: Tensão Máxima



“Welcome back to Minos' Escape Rooms”


Após o final derradeiro do primeiro filme, continuamos a acompanhar Zoey (Taylor Russel) e Ben (Logan Miller) na busca de provas que comprovem o seu depoimento sobre quase terem sido mortos nas salas de Escape Rooms da Minos.


Ainda sofrendo com os traumas posteriores adquiridos nos jogos da edição de sobreviventes da Minos, Zoey e Ben partem juntos em direção a Nova York em busca de encontrar um jeito de vingar as pessoas que perderam suas vidas nas salas da Minos. Busca essa que os levam a um conglomerado de prédios escondidos, em plena luz do dia, em meio a Manhattan, ao aparentemente centro de operações da Minos. E, após serem atraídos a uma das linhas de metrô, descobrimos que tudo não passa de uma armação para inserir novamente os personagens, juntamente a mais quatro novos participantes, as mortais e elaboradas salas da Minos escape rooms, com uma leve diferença: Esta não é a primeira vez de nenhum dos participantes.


Composta por salas maiores, extremamente mais bem elaboradas e uma melhor diversidade de personagens, a sequência da franquia nos responde algumas das perguntas que ficaram em aberto no primeiro filme, como se é preciso ser um gênio como a Zoey para vencer os jogos ou quem realmente está por trás de tudo isso. A trama peca um pouco no desenvolvimento dos seus personagens, que poderiam facilmente ser mais bem explorados como no primeiro filme, onde eram utilizados flashbacks mostrando o passado dos participantes para agregar mais background aos personagens e nós deixar mais inseridos na narrativa. Recurso esse que seria bem utilizável devido a natureza única da habilidades dos participantes como a Rachel (Holland Roden) que sobreviveu aos seus jogos devido a sua condição física extremamente rara que a torna incapaz de sentir dor.

E, assim como no primeiro filme, o grande astro do segundo são as próprias salas, que permanecem bem mais desafiadoras, mais complexas e bem mais criativas. Proporcionando a nos viajantes (pode usar a palavra “telespectadores” se quiser mudar) momentos genuínos de mais pura ansiedade.


Nota: 3 acarajés e um bolinho de estudante.


Ficha técnica:


Título original do filme: Escape Room 2: Tournament of Champions

Direção: Adam Robitel

Estreia: 16/09/2021

País: EUA

Gênero: Ação/Terror

Ano: 2021

Duração: 1h28min

Classificação: 14 anos

Distribuidora: Sony Pictures