Crítica - Ghostbusters: Mais Além

Seguindo como sempre faço, fui pra essa sessão de cinema bem despretensioso, pois ainda tinha na mente aquele delírio coletivo que foi o Ghostbusters de 2016 e não queria passar por uma decepção semelhante. Pensando nisso, entrei na sala para assistir Ghostbusters: Mais Além e posso dizer que me surpreendi e muito. A trama começa contando a história de Callie (Carrie Coon), uma mãe solo criando seus dois filhos: Phoebe (Mckenna Grace), uma pequena gênia da ciência e física, e Trevor (Finn Wolfhard), um adolecente na flor da puberdade que manja um pouco de mecânica, até que eles recebem a notícia de que o pai da Callie faleceu e ela prontamente se organiza para verificar os bens que o velho deixou quando foi dessa pra uma melhor. Porém ela não contava com a ordem de despejo do apartamento que vivia com os filhos e decide se mudar para a fazenda daquele que era tido na cidade de Summerville como o louco Planta-Lama e fazer de lá sua nova morada. O que eles não contavam é que a nova casa esconde vários mistérios e aquela cidade está prestes a passar por um evento que envolve forças do além, deuses e muita destruição.

No geral esse filme é feito para tanto aqueles que assistiram os primeiros filmes quanto para aqueles que não conhecem a franquia, visto que eles conseguem ambientar bem os acontecimentos já acontecidos com o que está acontecendo no presente de maneira competente e não desconexa, o que me foi um ponto bastante positivo e importante. Os personagens também são muito bem utilizados, principalmente a Phoebe e o Podcast (Logan Kim) que conseguem te prender na tela com suas interações engraçadas e com suas reações a tudo que acontece enquanto eles tentam descobrir o que está acontecendo na sua cidade. Já o mesmo não pode ser dito do Trevor pois todas suas aparições até o final do ato 2 são literalmente esquecíveis e dispensáveis, eu diria. Outro ator que eu senti que poderia ter um destaque maior foi o Sr. Grooberson (Paul Rudd) que foi muito mais um alívio cômico e um atiçador de curiosidade da Phoebe do que um personagem com importância propriamente dita. O mesmo pode se dizer da mãe dos garotos, mas no caso dela é entendível esse desprendimento dada a situação dela na história.


Sobre efeitos visuais, eu curti bastante! Parecia que eu estava vendo uma versão atualizada do clássico de 1984 e que parecia bem bonito na tela, simplesmente de encher os olhos. Além disso, temos inúmeras referências ao filme anterior como o carro Echo 1, as armas originais, os uniformes e outras coisinhas mais que te deixam feliz assistindo. Sobre áudio também não há reclamações, tudo ok! Mas nem tudo são flores: há algumas pequenas falhas no roteiro que daria pra ser melhor desenvolvidas, mas nada que tire a animação que é assistir esse filme. Mais do que um ode ao filme de 1984, esse filme é um homenagem a franquia em si e ao Harold Ramis, um dos ghostbusters originais que acabou falecendo em 2014. Uma homenagem linda por sinal. Recomendadíssimo para todos! Nota: 4 acarajés recheados



Ficha Técnica:

Título Original: Ghostbusters: Afterlife

Duração: 124 minutos

Ano: 2021

Estreia: 18 de Novembro de 2021

Distribuição: Sony Pictures

Produção: Columbia Pictures, BRON Studios, Ghostcorps

Direção: Jason Reitman

Classificação: 12 anos

Gênero: Fantasia, Comédia

Países de Origem: EUA, Canadá

Elenco: Finn Wolfhard, Mckenna Grace, Carrie Coon, Logan Kim, Celeste O'Connor, Bill Murray, Bill Murray, Ernie Hudson.