Crítica - Jurassic World: Domínio



Encerrando uma segunda trilogia Jurassic, agora sendo estrelada por Chris Pratt e Bryce Dallas Howard – além de Sam Neill, Laura Dern e Jeff Goldblum, presentes na primeira trilogia e são partes ativas nesse terceiro filme – Jurassic World: Domínio já está entre nós e é um grande fim de um ciclo. É bem verdade que ninguém pediu novos filmes da franquia, mas agrada a quem curte produções do gênero.


Na trilogia original, coisa da cabeça de Steven Spielberg, a ideia de um parque com dinossauros que deu errado (vamos dizer assim) era bastante atrativa e entrou na lista de blockbusters com grande facilidade. No primeiro filme, os efeitos especiais eram bem caprichados e os animais eram mais trabalho da equipe de maquiagem do que da turma da computação gráfica – molezinha, pra quem fez o mundo se assustar com um tubarão de madeira lá em 1975 –. Na segunda trilogia, dá pra ver que é tudo computador (como diria o grande Julinho da Van), uma ideia que incomodou os fãs do blockbuster dos anos 90, entretanto os avanços da tecnologia tornaram isso mais palatável ao gosto de quem assiste e se contenta a contemplar uma bela batalha de gigantossauros ou uma cena da Claire (Bryce Dallas Howard) no lago, que tem um excelente trabalho de fotografia e é coisa linda. O CGI que parecia me incomodar nos dois primeiros filmes, me deixou mais satisfeito dessa vez, apesar de não achar o melhor dos trabalhos, registre-se.


Além disso, quando personagens antigos são trazidos de volta em novas produções – virou rotina. Falamos sobre isso em podcast, inclusive. Ouça AQUI (fim do momento merchandising) – a gente espera que o povo tenha as mesmas características que agradou, ou não, o público há muito tempo atrás. Isso é bem visto em Jurassic World: Domínio. Juntando a esse bom ponto, virou marca registrada também aquelas cenas que realizam um comparativo entre personagens dos longas antigo e atual, dessa vez foi o Sam Neill e Chris Pratt. Algo que ninguém pediu, também, mas agrada por ter o costume de ser um bom momento de humor e piadas.


Esse filme é maravilhoso ao cumprir a sua proposta: ser filme de monstro. Se você for assistir esse filme procurando defeito, vai achar vários. O roteiro é legal, mas alguns diálogos perdidos matam muito a qualidade da história. Mas o foco aqui tem que ser outro. Num bom filme de monstro, tem que ter atuações decentes, efeitos especiais convincentes, um visual bonito que favoreça o principal, que é o fato de ter muitos monstros gigantes (agora é a hora que você repara que só falei disso acima). Jurassic World: Domínio tem tudo isso. Se você curte, vai amar esse que é o melhor dos três filmes da nova fase jurássica. Tem gente que assistiu e daria 2 acarajés com muito esforço. Comigo é diferente.


Nota: 4 acarajés melhores daqueles que eu dei em Mulher Maravilha 84.


Ficha Técnica


Nome: Jurassic World: Domínio (Jurassic World - Dominion)

Gênero: de Monstro, Aventura, Ação, Ficção Científica

Elenco: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, Isabella Sermon, Sam Neill, Jeff Goldblum, Laura Dern, Omar Sy, DeWanda Wise, Justice Smith, Mamoudou Athie, Apatossauro, Tiranossauro, Velociraptor, Gigantossauro e grandes raptores

Roteiro: Colin Trevorrow, Derek Connolly, Emily Carmichael, Michael Crichton

Direção: Colin Trevorrow

Produção: Colin Trevorrow, Frank Marshall, Patrick Crowley, Steven Spielberg (Fala dele!)

Duração: 2h27min

Censura: 12 anos

Distribuição: Universal Studios