Crítica - Monster Hunter



Ao assistir um filme, é possível ter várias percepções e isso varia da pessoa e do longa. Tem gente que entende as pretensões do filme e avalia de um jeito, mas tem gente que não entende esse lado e prefere assistir cada produção tendo o melhor filme de todos os tempos como parâmetro e nem sempre isso é saudável, mas errado é aquele que discorda 100% de quem pensa assim.

(Divulgação - Sony Pictures)

No caso de Monster Hunter, dá pra ver por, pelo menos, três óticas diferentes e eu meio que me encaixei nelas, assistindo ao filme. Então vou fazer um pouco diferente e tecer três mini críticas baseadas nas expectativas que é possível ter, pelo menos pra mim, ao assistir uma super produção baseada num jogo de videogame sobre monstros, que é o caso do longa.


Ao espectador médio (aquele que não conhece o jogo e espera assistir o suprassumo da qualidade cinematográfica):


Apesar da boa qualidade técnica, com bons efeitos visuais e gráficos, não existe um contexto pra trama acontecer e quando o filme tenta explicar isso, é em apenas uma cena e, no final das contas, o filme pode parecer confuso. O roteiro é pobre e as atuações estão longe de ser a melhor coisa do mundo. Muito provavelmente, você encare o filme como uma grande perda de tempo.


Nota: 1 Acarajé


Ao espectador gamer (aquele que é fã de um dos maiores jogos da história da Capcom ou faz alguma ideia do que é o jogo):


O filme traz várias referências ao universo de Monster Hunter, desde os monstros até alguns personagens que tem a simpatia do fã do jogo. O filme tem boa qualidade técnica, com bons efeitos visuais e gráficos. Apesar disso tudo, a ideia da coexistência de dois universos não é tão bem explicada e talvez prejudique sua experiência de assistir ao filme. Não é a melhor adaptação do mundo, mas pode lhe deixar satisfeito.


Nota: 3 Acarajés


(Divulgação - Sony Pictures)

Ao espectador fã de filme de monstro (aquele que assiste o filme apenas pelo puro entretenimento e sabe que Monster Hunter é sobre caçadores de monstros):


Monster Hunter tem muita ação. O primeiro arco é frenético, cheio de jump cut (aquele momento que o monstro brota do nada na sua cara e você toma um sustinho) e mantém um ótimo ritmo durante o filme inteiro. Ele tem boa qualidade técnica, bons efeitos visuais e gráficos, ou seja, o CGI não fica devendo em nada quando a gente leva em conta as pretensões do filme. Além disso, tem muito monstro, explosão e a gente não precisa ficar esquentando a cabeça pra entender a história e do porquê tudo aquilo estar acontecendo. Nem a Milla Jovovich entende o Tony Jaa e nem é você quem vai fazer esforço pra isso. Como diria meu amigo Yuri: "É lisergia pura!".


Nota: 5 Acarajés


Com a soma total de 9 acarajés e dividido por 3 críticas, pra média final temos: Nota: 3 Acarajés