Crítica - Noite Passada Em Soho

Filmes de terror tendem a afastar o espectador da tela. As cenas iminentes de alguma desgraça faz a pessoa fechar o olhinho, se jogar pra trás, qualquer movimento que seja pra se distanciar o máximo possível daquilo. Noite Passada Em Soho causa o efeito contrário. Em vários aspectos ele te prende, assim trazendo um thriller psicológico contemplativo, envolvente e, ainda assim, impactante.

A ideia do longa é simples. A Thomasin McKenzie começa a sonhar que é a Anya Taylor-Joy e as coisas começam a se tornar mais realistas a cada instante. A questão é se algo de errado não está certo com os Divertida Mente da menina ou se tem mais coisa envolvida. Já que falei delas, a atuação é maravilhosa. Devido ao gênero e a trama abordada, atuar bem é uma missão difícil que ambas cumprem brilhantemente. É possível sentir a tensão junto com Ellie (Thomasin McKenzie), além de outras sensações impostas ao longo do filme, tais como a empolgação de se mudar pra uma grande metrópole, o tédio por não compartilhar os mesmos gostos que os outros jovens colegas de faculdade e a fascinação pela Sandie, coisa mais fácil quando se trata de Anya Taylor-Joy. Ela é crush oficial da Instituição Kiviage Cast - junto com a Zendaya - não a toa e eu, que sou mais cadelinha ainda, me derretia a cada cena. E quanto sobre sentir sensações que falei da Ellie, cabe também a Sandie, gerando uma grande sintonia entre elas, embora estejam ambientadas em épocas bem diferentes.

As personagens são ponto fundamental da trama e isso tem mão do roteiro, direção de arte, fotografia, edição de som, Edgar Wright. O homem por trás de "Em Ritmo de Fuga" (Baby Driver pros íntimos) é conhecido por conseguir trabalhar bem todos os elementos citados e ele é brilhante, mais uma vez. Há uma excelente ambientação de Londres dos Anos 60, fazendo um belo contraste com a Londres atual. Além da cidade, esse contraste pode ser comentado ao falar da trilha sonora (que é maravilhosa, inclusive) com músicas dialogando com o enredo e com efeitos sonoros propícios pra cada momento. Ainda na parte técnica da coisa, a fotografia é fundamental pra um filme desse tipo e temos um grande acerto nisso junto com diversos outros momentos, principalmente os de transição entre os "mundos" de Ellie e Sandie. Tudo isso envolve e atrai quem assiste para mais perto da tela, inclusive nos créditos finais.


Noite Passada Em Soho é um filme maravilhoso, com um elenco muito bom, com uma parte técnica absurda, com uma trama envolvente - incluindo grandes plot twists - e uma produção muito bem acertada. Um drama, um suspense, um terror (com direito a cenas que flertam com o slasher), um filmaço redondinho, com a assinatura de Edgar Wright. Uma excelente pedida para quem curte obras do gênero, que terá a nota digna de Anya Taylor-Joy (e Thomasin McKenzie).


Nota: 5 acarajés


Ficha Técnica


Nome: Noite Passada Em Soho (Last Night In Soho)

Gênero: Terror, Suspense, Drama. Duração: 1h56min

Elenco: Thomasin McKenzie, Anya Taylor-Joy, Diana Rigg, Matt Smith, Michael Ajao, Terence Stamp Roteiro, Direção e Produção: Edgar Wrigth

Distribuição: Universal Pictures