Crítica - Nova Ordem Espacial


(Divulgação - Netflix)

O filme traz novamente a velha história da terra morrendo. Mas com o objetivo puro de nos levar à uma aventura boba e divertida.


Nova Ordem Espacial, um dos recentes filmes da Netflix, chega para mais uma vez levar a plataforma de streaming para o espaço. O filme chega a ser uma mix de premissas e situações de filmes conhecidos como: Elysium, Interestelar, Star Wars e até mesmo 3 Ladrões e um Bebê. E essa mistura nos entrega uma aventura bem família, divertida e legal pra passar um tempo.



Situado em 2092, Nova Ordem Espacial acompanha a nave “The Victory”, formada por quatro viajantes especializados em coletar lixo intergaláctico. Em uma de suas expedições, eles encontram uma humanoide chamada Dorothy, conhecida por seu grande potencial de destruição. Pensando em elevar os padrões de suas vidas, a equipe decide vender a máquina mortal. Contudo, a ambição acaba fazendo eles entrarem em uma espiral de conspirações, que envolve até mesmo a existência do universo.


O filme é dirigido pelo coreano Sung-hee Jo. E o projeto marca um grande avanço na dele, já que até agora, nunca havia encabeçado projetos de filmes para grandes estúdios. E o filme em si já é um sucesso, sendo considerado o primeiro blockbuster espacial coreano. Apesar de não ser totalmente criativo, o diretor faz um bom trabalho aqui fazendo uso de ângulos muito conhecidos na ficção científica, movimentos de câmera e diversas outras coisas que ajudam a compor o filme em si. O roteiro também não é grande coisa e conforme o filme vai passando você consegue imaginar o desfecho. Mas é um roteiro competente que sempre consegue trazer o espectador de volta ao filme, seja por meio dos personagens ou por conta de algumas situações problemáticas.


Mas o que realmente faz com que você sente e queira assistir o filme até o final é a dinâmica entre os personagens, o elenco tem uma boa química e consegue até mesmo tirar algumas risadas e sensações de carinho por eles. Kim Tae-ri é o nome mais famoso do elenco. A atriz protagonizou A Criada, um filme coreano muito conhecido que até hoje é apontado como um dos melhores da década passada. Song Joong-Ki — que já trabalhou com Sung-hee em Neuk-dae-so-nyeon — e Seon-kyu Jin (Os Invencíveis) também fazem parte do elenco.


Cada personagem da equipe principal é bem apresentado com suas origens, ambições e situações atuais. Não demora muito e você já consegue gostar de todos eles e quer que eles tenham sucesso no que querem fazer. Conforme o filme avança eles evoluem, o que os deixa ainda mais interessantes.



O grande problema entre os personagens é o vilão que é totalmente desprovido de personalidade, as cenas com ele são chatas, ele é exagerado e é bem aquele vilão de filme antigo que chega a explicar o próprio plano e só falta soltar uma risada maléfica. O personagem simplesmente não tem profundidade ou uma história que explique o motivo de ele querer fazer aquilo, pelo menos não uma história que convença. Algumas coisas relacionadas a ele também parecem bem gratuitas e desnecessárias.


Eu não exagerei ou estava delirando quando comparei esse filme a 3 Ladrões e um Bebê, já que a trama do filme basicamente gira em torno dos personagens que tinham um objetivo com a criança mas logo você vê que eles estão prestes a se apegar. A parte de Interestelar fica por conta da morte da Terra, que mais uma vez está sem recursos e aparentemente sem esperanças. Elysium aparece quando o filme nos mostra que tem uma colônia fora da Terra com o objetivo de dar uma vida melhor para as pessoas ali. Star Wars é muito lembrado quanto aos catadores de lixo que ganham a vida apenas pra isso, com as boas cenas de nave e tiroteios, além de ter um droide super ""gente"" fina. O final também, infelizmente me lembrou do último filme de Star Wars.


No geral, Nova Ordem Espacial, não é um baita filme inesquecível mas consegue ser bonito visualmente e entrega boas cenas de ação. Algumas coisas que vão acontecendo durante o filme podem incomodar por serem "convenientes" mas, se você conseguir ignorar esses pequenos detalhes terá boas 2h de diversão acompanhando uma aventura no espaço.


Uma coisa que esse filme faz bem é mostrar que a gente não precisa sair da terra pra morar ou viver bem, se focarmos os recursos, inteligência e carinho em cuidar da boa e velha terra ela vai durar muito ainda (pra sempre eu diria). Enquanto outros filmes no fim afirmam que a única solução é sair daqui, Nova Ordem Espacial apesar de passar o filme inteiro fora da terra, no final quer nos trazer de volta.


Nota: 3 Acarajés