Crítica – O Fio Invisível




Relação entre mãe e filhos é representada numa obra tensa e curiosa


O novo filme da Netflix é uma produção chilena que aposta numa mistura de suspense sobrenatural com fatos de denúncia ambiental.


Somos levados ao interior da Argentina para acompanhar a história de Amanda (María Valverde) que vai até uma antiga casa de sua família para levar a sua filha Nina (Guillermina Sorribes Liotta) e lá ela conhece Carola (Dolores Fonzi), sua vizinha prestativa que caiu nos encantos de Amanda rapidamente, dando início a relação muito íntima das duas ao ponto de Carola revelar à sua amiga suas preocupações e até seu medo do próprio filho David (Emilio Vodanovich).


O longa tem um formato peculiar, todo descrito em flashbacks narrados por David e Amanda, que está à beira da morte, sendo guiada por David em suas lembranças para buscar a raiz do seu problema porque, só assim, a solução será descoberta.


Durante a maior parte do filme somos levados a crer que tudo não passa de uma situação sobrenatural e com isso a tensão nas cenas no filme vai se tornando crescente, mas nada a ponto de causar medo e sim uma angústia profunda pelo desconhecimento da verdade e a delicada perda de confiança na narrativa apresentada por alguns dos personagens.


A fotografia é impecável tanto para a criação inicial do vínculo das personagens principais (Amanda e Carola) quanto para a construção do suspense e, para isso, brinca com os sentidos do espectador sempre dando ênfase nos sons vindos da natureza somando as vozes de narração que se complementam no clima de tensão. O elenco tem uma atuação impecável, os quatro atores que fazem parte do núcleo principal exercem seus papéis de modo delicado e detalhista.


Entretanto, o final vai sendo entregue muito mais rápido do que o necessário tornando o desfecho muito mais previsível. Ainda assim, não atrapalha o resultado final da obra em um contexto geral. O Fio Invisível funciona muito bem na sua intenção de misturar misticismo, o sobrenatural e a ciência.


Nota: 3 acarajés


Ficha Técnica:

Título Original: Distancia de Rescate

Duração: 93 minutos

Ano produção: 2021

Estreia: 13 de outubro de 2021

Dirigido por: Claudia Llosa

Classificação: 12 anos

Gênero: Suspense, Drama, Mistério