Crítica - O Maior Roubo De Arte De Todos Os Tempos


Em 18 de março de 1990, em uma madrugada após um dia de São Patrício (St. Patrick's Day), 2 homens disfarçados de policias, entraram no museu de Isabela Stewart Gardner em Boston, Massachusetts, sobre o pretexto de uma ordem de prisão, e em 81 minutos cometeram, o que é considerado por muitos, o maior roubo de arte da historia.

O mais novo documentário da Netflix, O Maior Roubo De Arte Da Historia conta todas as diferentes óticas e teorias que envolvem este feito que há quase 30 anos permanece sem solução.


A produção nos apresenta as diversas vertentes em volta do fatídico roubo, desde a visão do próprio FBI e de diversos investigadores, até a de ex-contrabandistas e associados da máfia e expondo o máximo de informação possível a respeito do furto dessas 13 obras de arte.


A trama divida em 4 episódios nos apresenta todo o tipo de teoria envolvendo o sumiço dessas obras renomadas de Rembrandt, Vermeer, Degas e Manet e, também, todas as linhas investigativas seguidas pelo FBI e tentativas frustradas de localizar o paradeiro dessas obras que juntas totalizam o humilde valor de, nada mais nada menos que, mais de meio bilhão de dólares (Com a cotação atual do dólar, nem vale muito a pena converter pra nossa moeda).


A série tem uma linda fotografia e uma excelente recapitulação dos fatos ocorridos, não só do crime em si, mas também das especulações que rodearam o caso. Entretanto, apesar de bem apurada, a produção é demasiada cansativa em determinados pontos, devido a clara falta de suspeitos para o crime e a total inexistência de uma acusação concreta.


Em pouco tempo de trama tudo passa a ser meramente especulativo e teórico, já que o paradeiro das pinturas ainda permanece um mistério. O documentário, em algumas partes, se propõe a explicar como o mundo criminoso de Boston operava, desde de grandes carregamentos de cocaína até uso de obras de artes roubadas como moeda de troca pela máfia, em depoimentos dados tantos pelos mocinhos quanto pelos bandidos, e nisso o enredo avança para o mesmo beco sem saída.


No fim, perguntas que foram feitas há mais de 30 anos ainda permanecem sem resposta: Quem roubou as 13 obras de arte? E onde elas se encontram agora? Circulando no mercado negro? Decorando a sala de algum colecionador? A resposta pra todas essas perguntas permanece: Irineu, você não sabe e nem eu.


Nota: 2 acarajés e meio bolinho de estudante

Ficha técnica:


Título original do filme: This Is A Robbery: The World's Biggest Art Heist

Direção: Colin Barnicle

Plataforma: Netflix

Estreia: 07/04/2021

País: EUA

Gênero: Documentário

Ano: 2021

Duração: 210 minutos

Classificação: 16 anos