Crítica - Os Croods 2: Uma Nova Era


Mais bonita e mais engraçada!


A impressão é que foi ontem, mas foi em 2013 que fomos apresentados à divertidíssima família de neandertais que mora de pantufas (ou chinelos de pedra) nos nossos corações. Após um primeiro filme, que de tão perfeito parecia se resolver em si e sem necessidade de uma continuação, somos agora apresentados a mais uma aventura da família Crood que, repetindo algumas formulas do filme anterior, consegue entreter tanto quanto ou mais.


O tema central ainda segue, de maneira lúdica é claro, a realidade da era pré-histórica: sobrevivência. A família Crood está em busca de um habitat mais seguro e quando finalmente o encontra se deparam com os Bem-Melhores, uma família de seres humanos mais desenvolvida que eles, e essa diferença causa um atrito que precisa ser resolvido uma vez, que para sobreviver numa época tão hostil, é necessário o bando estar junto.


É notável que a animação segue a evolução dos personagens do primeiro filme que, liderados por Guy, deixaram de esconder em cavernas físicas e mentais em busca de entender e viver o mundo que os rodeia se tornando mais modernos. O design animado também se modernizou utilizando um 3D mais elaborado e demonstrando uma significativa melhora na fotografia. No aspecto técnico é realmente impecável.





O roteiro se propõe muito mais a ser engraçado do que passar uma forte mensagem como no primeiro longa. As metáforas como “a busca pelo amanhã” dão lugar a questionamentos de mais fácil resolução e diálogos mais engraçados. E isso não é demérito algum pois as discussões importantes permanecem ali, principalmente com um gigante protagonismo feminino e momentos girl power que são didaticamente muito importantes, uma vez que o público alvo - o infantil - é ludicamente influenciado positivamente. Também há boas mensagens sobre responsabilidade ecológica e respeito pela privacidade numa relação paternal.


Claro que à medida que se dá maior atenção a alguns personagens outros acabam sendo prejudicados, visto que o filme só tem 95 minutos. Um desenvolvimento bastante prejudicado foi o de Guy que, se no primeiro filme era o ponto fora da curva por ser criativo e destemido em relação ao resto dos personagens, agora não teve esse lado inventivo mais explorado e ficou ofuscado pela nova família apresentada.


É uma bela animação que honra o seu próprio legado e consegue, não somente copiar o sucesso pregresso, mas também introduzir mais bons personagens, mais momentos engraçados e mais discussões importantes. Não deixe de assistir com toda sua família no cinema se as condições sanitárias na sua localidade permitirem.


Nota: 4 Acarajés


Ficha Técnica


Direção: Joel Crawford

Roteiro: Kevin Hageman, Dan Hageman, Paul Fisher, Bob Logan

Elenco: Nicholas Cage, Emma Stone, Ryan Reynolds, Catherine Keener e mais.

Duração: 95 minutos

Distribuição: Dreamworks Animation