Crítica - Quanto Vale?



Quanto vale a vida de alguém que você ama ?

A mais nova produção da Netflix se atreve a, não só perguntar, como mostrar os aspectos que essa pergunta implica.

O longa estrelado por Michael Keaton nos conta a história sobre a criação de um fundo de compensação para as vítimas do ataque terrorista ao World Trade Center que aconteceu em 11 de setembro de 2001.


Ken Feinberg (Michael Keaton) é um advogado que acaba se voluntariando para um trabalho que ninguém quer: Definir os parâmetros e regras do fundo de compensação para as vítimas do 11 de setembro. O primeiro grande problema nisso é como se atrever a estipular um valor monetário para a vida de um ente querido que foi perdida. E ainda mais complicado: como estabelecer um valor justo para todos, quando a clara intenção não é ser justo e sim encerrar o assunto e seguir em frente?


O advogado, juntamente com a sua sócia Camille Biros (Amy Ryan), desempenham esta delicada tarefa de negociar todos os acordos e, ao mesmo tempo, lidar com as mais de 6 mil pessoas afetadas. Algumas como o Charles Wolf (Stanley Tucci) que é mais uma vítima deste evento trágico que luta com todo afinco para que as pessoas sejam tratadas como vidas e não como estatísticas, indo contra os interesses das grandes corporações e tentando ser o mais humano possível no processo.


A vida tem preço? Filosoficamente e humanamente falando, não há uma resposta concreta para essa pergunta, mas infelizmente para o governo - e respectivamente para a lei em si - essa pergunta tem resposta e é ela expressa em números e gráficos. Quanto Vale? conversa sobre um tema de extrema necessidade: a responsabilidade governamental para com seus cidadãos, pois é claramente visto durante a trama (e fielmente retratada) a total falta de empatia do governo para com a população mediante a um desastre recente. O longa também faz duras críticas a manipulação de leis para favorecer as grandes empresas, visto que esse comportamento é aparentemente algo quase que comum em meio ao governo.


Baseado numa história real, a narrativa - por mais que seja um pouco lenta e arrastada em certos momentos - entrega uma boa gama de atuações e um bom âmbito de histórias que expressam bem a realidade e dificuldades enfrentadas por essas pessoas.


Nota: 4 acarajés


Ficha técnica:


Título original do filme: Worth

Direção: Sara Colangelo

Plataforma: Netflix

Estreia: 03/09/2021

País: EUA

Gênero: Drama

Ano: 2021

Duração: 01 H 58 MIN

Classificação: 14 anos