Crítica - Sailor Moon Eternal

Gostaria de iniciar dizendo que a crítica só atrasou pois eu tive que assistir TODOS OS EPISÓDIOS de Sailor Moon Crystal (que é o reboot da série original) para poder assistir o filme Eternal, pois se tratava de uma continuação. Tenham dó de mim.

Anunciado em 2017 logo após o final da 3ª temporada de Sailor Moon Crystal, Sailor Moon Eternal vem como um filme feito para finalizar a história e se passando logo após o último episódio do anime. A trama começa com Chibi-Usa, a.k.a. Sailor Chibi Moon (Fukuen Misato), relembrando rapidamente tudo que aconteceu e se preparando para voltar ao século 30 pois concluiu seu treinamento de Sailor. Porém está pra acontecer um eclipse solar e muita gente da cidade de Juban se reuniu bem no parque que ela iria usar para voltar no tempo. Por lá ela encontra Chiba Mamoru, a.k.a. Tuxedo Mask (Nojima Kenji), e Tsukino Usagi, a.k.a. Sailor Moon (Mitsuishi Kotono), e decide assistir o eclipse com eles. Em outro canto da cidade as outras Guerreiras da Lua (Sailors Mars, Mercury, Jupiter e Venus) estão também reunidas para ver o mesmo eclipse. Porém acontece algo estranho durante o raro evento solar: elas veem uma nave misteriosa sair da sombra da lua e anunciar que o “Dead Moon Circus irá tomar a Terra para si”, o que cria bastante inquietação as guerreiras e os que estavam também observando do parque já que, além da nave, eles recebem uma visão de um unicórnio pedindo ajuda para salvar tanto o planeta dele quanto a Terra. Intrigadas, as Sailors começam a investigar esse circo misterioso já que logo depois da chegada deles uma nuvem escura se forma em volta da cidade, anulando seus poderes de transformação e criando dificuldades para lutar contra seus ainda desconhecidos novos inimigos. Então… por onde eu começo? É… O filme apresenta a mesma "fórmula mágica” que foi utilizada à exaustão durante o anime: poderes tirados não sei da onde para que as guerreiras consigam superar suas dificuldades. Mas Thiago, todo anime Shounen (Dragon Ball, Naruto e afins) tem esse tipo de estrutura. Porque as Sailors não podem? Simples: não estou reclamando do recurso e sim de como é usado. Simplesmente não se torna minimamente plausível como elas conseguem contornar as dificuldades pois a conveniência do roteiro é muito forçada. Além disso, o esquema de “novela mexicana” que vi desde o anime continua no filme com dramas forçados mais do que deveriam e reações amplificadas para contribuir com a carga emocional da situação retratada. O filme é dividido em duas partes com um pouco mais de 1h20 cada uma, mas pra mim pareceu que tinha muito mais do que isso, pois levei uns 2 dias para conseguir assistir tudo por não conseguir ver continuadamente o que passava na minha tela. Simplesmente o filme era muito rápido em alguns momentos e muito devagar em outros. Mas temos pontos positivos também. E um dos mais evidentes é a animação, o que já é esperado quando se fala de um filme que tem muito mais tempo de produção do que um anime para TV. Mas estamos falando da Toei Animation que SEMPRE faz isso com suas animações para TV, deixando elas de mediana para baixo e nos filmes sempre entregando uma animação primorosa (como exemplo use o Dragon Ball Super). Além de muito mais bonita ela também está muito mais consistente o que sempre foi uma reclamação do pessoal que assistia o anime na TV e via os rostos das Sailors toda hora de um tamanho/forma diferente. A trilha sonora também se faz destacar aqui como bem feita e escolhida, pois sempre ambientou bem as cenas e dava todo o glamour que as lutas precisavam. A adaptação do arco também foi razoável, quando consideramos que eles só tinham 2h40 para adaptar tudo levando a cortes compreensíveis como o desenvolvimento do Amazoness Quartet que, no anime dos anos 90, tiveram sua história bem melhor explicada.

Animação do Filme
Animação do Anime

Se você é fã de Sailor Moon, assista. Esse filme finaliza bem o reboot da história iniciado em Sailor Moon Crystal, além de entregar uma animação superior ao que se viu no anime.

Nota para o fã: 3 acarajés e duas cocadas de coco.


Caso não seja fã, pense bem antes de assistir. Talvez você não goste de como se dão os desenvolvimentos de personagem, acarretando em uma experiência não tão legal assim. Nota oficial: 2 acarajés só com salada e uma água “torneiral”.


PS: Vou demorar pra te perdoar Yuri.


Ficha Técnica:


Título Original: Bishoujo Senshi Sailor Moon Eternal

Duração: 161 minutos (2 episódios)

Ano: 2021

Estreia: 03 de Junho de 2021

Distribuição: Netflix

Produção: Toei Animation

Direção: Kon Chiaki

Classificação: 10 anos

Gênero: Demônios, Magia, Romance, Shoujo

Países de Origem: Japão

Elenco: Mitsuishi Kotono, Satou Rina, Koshimizu Ami, Itou Shizuka, Kanemoto Hisako, Fukuen Misato, Nojima Kenji.