Crítica - Samaritano

“O bem e o mal vivem lado a lado aqui, no seu coração. Cabe a você escolher qual seguir e eu sei que fará a escolha certa.”


O menino Sam Cleary (Javon 'Wanna' Walton) tem admiração pelo antigo herói Samaritano que protegia os mais fracos lutando contra os seus opressores, que um dia foi atraído por seu irmão e antagonista Nêmesis que o atraiu para uma luta final com seu martelo forjado pelo ódio a sociedade e ao posicionamento do seu irmão que só defendia um parcela da população e não defendia a todos os menos favorecidos. Tal luta resultou em uma explosão e na morte das duas ilustres figuras. Mas Sam não acredita nisso e crê piamente que o Samaritano ainda está vivo. Suas suspeitas se fortalecem ao ele ser salvo pelo vovô super-forte Joe (Sylvester Stallone) de alguns membros de gangue. Mesmo passando por dificuldades morando com sua mãe Tiffany (Dascha Polanco) ele quer fazer de tudo para ajudar aquele que ele acredita ser o sumido super herói que ele tanto admira. Porém ele acaba se envolvendo com o Cyrus (Pilou Asbæk) que é um grande fã do Nêmesis e planeja fazer algo impactante na cidade inspirado no anti-herói que o inspira.


Me surpreendendo bastante, essa temática de herói velho / decadente foi bem aproveitado aqui com as limitações da idade e dos “ferimentos de guerra” bem expressivos durante a trama. No entanto, a história é simples contando uma surpresa apenas no clímax do último ato do filme e pegando na curva quem não estava tão atento aos foreshadows que o longa dá de vez em quando. O ritmo da trama dá uma leve travada no meio, mas nada que impacte o produto final de forma significativa.

Vale apontar também que as interações entre Sam e Joe são bem fluidas e interessantes de assistir, mostrando a conexão durante o trabalho dos dois atores. Gostaria de ver a Tiffany (mãe do Sam) com um papel um pouco mais expressivo e menos complacente, mas essa discussão será contraproducente aqui. O Cyrus consegue ser um vilão competente apesar da sua rasa motivação de fazer o que faz com a cidade. Resumindo, consigo explicitar que as atuações não são ruins mas nada digno de Oscar também. Tudo bem mediano.


Fotografia tem uma característica bem peculiar no começo do filme com cores bem vibrantes e quentes que somem durante o filme e só voltam no final o que me causou leve confusão sobre o que falar da mesma. O áudio tava ok e competente… nada a se falar aqui.


O plot do final da história é muito bom e me pegou meio desprevenido de início mas depois eu comecei a achar que fazia bastante sentido e que era plausível dado a coisas que acontecem durante a película (os famosos foreshadows). Achei bem inteligente e fez o final não ser tão previsível, sendo até satisfatório e pouco previsível. Notei também muita semelhança desse filme com Corpo Fechado de Shayamalan, porém não consegue ser tão bom quanto.

Rasguei elogios e citei defeitos mas tudo isso culmina em uma só coisa: o filme é mediano. Ele é mediano em atuação, mediano em roteiro, mediano em história (tirando o plot final), mediano em fotografia e áudio… mediano em tudo. Gostaria que tivesse um cuidado maior para que ele pudesse ser melhor pois explora bem o tema, apesar que de maneira mediana.


Resumindo… se você tá sem nada pra assistir e quer assistir uma ação de um velhote metendo porrada em todo mundo ou algo parecido, Samaritano pode ser sua escolha. Assisti esse com meu pai que é fissurado em filmes de ação e o coroa aprovou. Como eu tenho que fazer meu trabalho de crítico e olhar com mais afinco ao projeto, digo que também gostei do longa com algumas ressalvas.


Nota: 3 acarajés medianos com camarões medianos, com 3 coquinhas médias e um bolo de estudante médio.


Ficha Técnica:


Título Original: Samaritan

Duração: 102 minutos

Ano: 2022

Estreia: 26 de agosto de 2022

Distribuição: Amazon Prime Video

Produção: Balboa Productions, Metro-Goldwyn-Mayer

Direção: Julius Avery

Classificação: 14 Anos

Gênero: Ação, Drama, Fantasia

Países de Origem: EUA

Elenco: Sylvester Stallone, Javon 'Wanna' Walton, Pilou Asbæk, Dascha Polanco, Sophia Tatum, Moises Arias, Martin Starr, Jared Odrick, Michael Aaron Milligan