Crítica - Sophia Chablau e Uma Enorme Perda de Tempo

Atualizado: 16 de abr. de 2021





Em 8 de Abril de 2021, a banda paulista Sophia Chablau e Uma Enorme Perda de Tempo (SCUEPDT), lança o álbum homônimo e primeiro da carreira. O álbum é uma miscelânea de contextos e referências, mas, mais uma expressão da juventude roqueira paulistana.



Produzido pela consagrada Ana Frango Elétrico, o disco usa e abusa de synths e fuzzes, sopros e coros. Quero dizer, por mais que não estejam presentes em todas as faixas, esses componentes saltam de suas tracks e proporcionam uma coesão estupenda. O álbum bebe duma fonte retrô que se torna cada vez mais atual. Pra mim, possui uma divisão do que seria um lado A e um lado B, em que Se Eu Fiz Pra Você Uma Não-Canção Eu Não Podia, é o fechamento do lado A e Deus Lindo¸ a abertura do B. Não necessariamente revela, essa divisão, uma mínima mudança de tema, que venha a contrapor as duas partes. Isto é, talvez, essas duas canções sejam as que mais se encontrem num aspecto suspenso ao álbum.


SCUEPDT é um disco de canções, mensagens e baladas. Um salto de introspecção que beira o marasmo e a euforia juvenil. É, então, uma não-definição definitiva do aspecto da personalidade e desenvolvimento pessoal.


É incrível como o tempo passa e nós não percebemos. Quando ouço Pop Cabecinha, toda levada e movimentação são algo que se aproximam duma herança d’O Terno (em 66), que está ali, no início dos anos 10, e que, ao mesmo tempo, são contemporâneos da banda. Tanto é assim que Biel Basille, um dos membros do trio, é o autor de algumas fotografias do projeto. Pop Cabecinha é uma porta de entrada um tanto quanto chocante que revela que a banda tem poder e que vem pra animar um futuro show do álbum.


Se Você é a reflexão dum dia que se repassa muitas e muitas vezes em nossa mente. Algo como: “se eu fizesse isso, você faria aquilo?”. É o devaneio dum devir aconchegante no estado de transe pré-sono – até que durmamos.


Fora Do Meu Quarto apropria-se filosoficamente da temática pressuposta por Schrödinger e seu gato. Isto é, o pensamento sobre a realidade é uma representação dum ato superposto que é e não é no instante. A vida é, então, o conjunto de razões e resultados apenas conseguidos na ação de se obter uma resposta.


Hello é uma bossa que usa guitarra e frequenta a ambiguidade da língua e do ser. Hello é dualidade. Talvez seja a canção que melhor representa o SCUEPDT nesse sentido. Talvez, também, represente um certo grau da dialética Hegeliana duma tese e duma antítese que apontam a uma síntese noutra direção.


Debaixo Do Pano é uma faixa embebidíssima em Jorge Ben Jor. Ouvir essa música é ouvir o suingue de W / Brasil (Chama O Síndico). É dançante e alegre, assim como Moças e Aeromoças.


O auge do Sophia Chablau e Uma Enorme Perda de Tempo é Delícia / Luxúria. Que vontade de dançar essa música numa balada europeia dos anos 2000. É interessante ver como as estéticas são recobradas de tempos em tempos e encontram eloquência em novos operários.


Essa música é abertura de novela, é popular, é vibrante – e ainda nos dá o prazer duma nova gíria (eu mesmo vou usar bastante). O único adendo é quanto à voz de Sophia que ficou ligeiramente mais atrás na mix e master. Isso impede o público de ouvir e entender a letra com clareza.


O disco, 100% autoral, é tocado pelos integrantes da banda: Sophia Chablau (voz e guitarra), Téo Serson (baixo), Theo Ceccato (bateria) e Vicente Tassara (guitarra e teclados). É muito bem executado apesar da banda ter menos de 2 anos juntos. É atraente ver a coesão deles. Um viva aos artifícios da era digital que permitem ascensões que há poucos anos não seriam tão fáceis nem tão possíveis. João Barisbe (nos sopros), a grande Lucinha Turnbull (guitarra semi-acústica) e Fabio Tagliaferri, pai de Sophia (viola-de-arco), são outros músicos presentes no projeto. Além da produção de Ana, o disco conta com outro nome de peso, Gui Jesus Toledo, na engenharia de som.


Sophia Chablau e Uma Enorme Perda de Tempo é um álbum potente e promissor, assim como a banda. Resta-nos a curiosidade de saber o que virá deles no futuro.


Nota: 4 acarajés.


Serviço:

Banda: Sophia Chablau E Uma Enorme Perda De Tempo

Álbum: Sophia Chablau E Uma Enorme Perda De Tempo

Duração: 22 min 47s

Número de faixas: 9

Ano: 2021

Produção Musical: Ana Frango Elétrico

Arranjos: Sophia Chablau E Uma Enorme Perda De Tempo

Engenheiro De Som: Gui Jesus Toledo

Assistente Do Estúdio: Thales Castanheira

Produção Executiva: Francesca Ribeiro

Arte: Maria Cau Levy

Foto Capa: Biel Basile