Crítica - Space Jam: Um Novo Legado



Quando eu vi o primeiro Space Jam, o do Michael Jordan, pela primeira vez, achei um dos filmes mais divertidos da minha vida. Mas eu era criança e, obviamente, a nostalgia bate forte toda vez que lembro de uma obra que mistura vários personagens de meus desenhos favoritos junto com um ídolo do esporte. Sei que já assisti coisa melhor, mas nada me tira que o longa é uma das melhores coisas que já vi. Space Jam: Um Novo Legado - que chamarei aqui carinhosamente de Space Jam 2 - conseguiu trazer essa mesma sensação, mais de 20 anos depois de quando vi o filme de 1996, mesmo eu tendo visto muita coisa de alto nível no cinema.


Space Jam 2 me fez ser criança de novo por cerca de duas horas ao me fazer rir com o humor característico do universo Looney Tunes e me empolgar a cada personagem que aparecia (incluindo os que não são do universo Looney Tunes, o que melhora e muito o filme). Além disso, eram os Looney Tunes com um dos grandes ídolos do esporte - inclusive o filme mostra flashes da carreira de LeBron James, incluindo ele ganhando o título da NBA com os Los Angeles Lakers e me fez lembrar porque "Lebrão ladrão! Roubou meu coração!" - juntos no cinema e trazendo diversão.


Pra um filme desse, é meio puxado analisar atuação, roteiro e direção. Se pra você, isso importa, saiba que é uma produção muito bem feita, tanto a parte em live action como, principalmente, a parte animada - inclusive devo mencionar que é um grande acerto do longa porque permitiu que vários outros universos da Warner pudessem ser explorados, como citei anteriormente, fazendo com que seu lado adolescente e adulto também tenham minissurtos.


Além da melhor exploração do universo da Warner Bros. como um todo, Space Jam 2 soube contextualizar a trama pros dias atuais. Pontos mais relevantes, como a desnecessária sexualização da Lola Bunny, ou coisas mais simples, como o vilão da história ser um algoritmo (bem interpretado pelo Don Cheadle, inclusive), são coisas que melhoram a obra e facilitam o entretenimento de quem assiste, o que é o principal objetivo do longa. Mas algumas boas características foram mantidas do primeiro filme, principalmente na parte das piadas com a carreira do LeBron, por exemplo (só pra lembrar, no Space Jam de 1996 tem alfinetadas à carreira de Michael Jordan no baseball). Somadas as piadas sobre LeBron James (ou feitas por ele mesmo), o filme tem várias boas sacadas e momentos que lhe fazem gargalhar.


Seja pela nostalgia trazida pelo fato de assistir aos Looney Tunes, seja por diversos outros motivos, Space Jam 2 cumpre muito bem sua missão e, levando em conta os dias atuais, arrisco dizer que é melhor que o primeiro filme. Tem quem pense que o filme deve fazer sucesso porque já teve um com Jordan antes, mas acredito que o novo longa deva fazer sucesso, independente de qualquer coisa. Não sei se é o Zuquinho de criança ou o de quase 28 anos nas costas que deu essa nota, mas sei que ela é muito merecida.


Nota: 5 acarajés


Ficha Técnica:


Nome Original: Space Jam: A New Legacy Ano: 2021

Gênero: Aventura, Comédia, Animação, Fantasia

Duração: 115 minutos

Direção: Malcolm D. Lee

Roteiro: Juel Taylor, Tony Rettenmaier, Terence Nance, Keenan Coogler, Ryan Coogler Produção: Allison Abbate, Charlie Ebersol, Ryan Coogler

Elenco: LeBron James, Don Cheadle, Sonequa Martin-Green, Cedric Joe