Crítica – Voragem (Ipásia)



Um convite à suspensão.


Gosto sempre de começar minhas críticas tentando resumir em poucas palavras o que sinto assim que termino de ouvir a um álbum, e isso é o que digo sobre Voragem, novo disco da banda aracajuana, Ipásia.


A banda surgiu quando a cantora e compositora, Tori, se propôs a lançar seu primeiro trabalho autoral, Akoya (2016), com 16 anos. Ela convidou artistas próximos a ela para acompanhá-la na gravação do álbum e nos shows. Depois da experiência bem sucedida desse primeiro trabalho da banda, eles seguiram compondo e arranjando, até chegarem na formação atual: Tori (guitarra, violão, voz), Ricardo Ramos (guitarra, vozes), Alexandre Damasceno (bateria, vozes), Júlia Rocha (teclado, vozes) e Beatriz Linhares (baixo, vozes).


A banda Ipásia (que assumiu esse nome em 2021 depois de anos sob a alcunha de Tori) já tem um disco na praça, o Ignatia,. O álbum, com 7 músicas, foi lançado em 2019.


Agora, em 2021, o grupo, que está mais coeso e consciente de si, nos convida a viajar nos conceitos de suspensão quase que interplanetários, ao mesmo tempo que é, também, uma imersão em nós mesmos. A feitura do disco só foi possível porque no final de 2020 a banda foi contemplada em dois editais sergipanos – um viva às políticas públicas de incentivo à cultura!



Voragem, distribuído pela PWR Records, é um disco com 6 músicas que passam voando por nós; que nos atravessa como uma tempestade solar. Mescla músicas instrumentais e canções muito bem executadas. Bebe de referências em Los Hermanos e Dônica, Pink Floyd e aquele amado rock progressivo que tem tanto retornado nessa geração.


Voragem é um estado de espírito de ânimo, coragem e frescor juvenil. Serviria facilmente de trilha sonora de longas com peso dramático de se viver o tudo e o todo. É uma história musical, ritmicamente doce, mas com potência invasiva. É lindo, extremamente reflexivo. Reflete um peso sobre a existência e nosso papel em nós mesmos e nos outros.


A suspensão que há é transmitida pelo uso synths com muitas tensões e elementos orgânicos. Essa é a nova música brasileira, com música, conceito, qualidade, letra, delícias e virtualidades. É sentimento é noção e conhecimento.


Voragem respira um alívio no final do álbum que remete o rock tropical da Maglore e do Flerte Flamingo. Cabe dizer que a banda tem uma unidade fascinante, em que todos sabem muito bem seus papéis musicais e se juntam pra somar. A mix e a master têm um papel essencial de passar isso para nós e elas são muito bem feitas.


Posso dizer que ouvir Voragem e viver em processo. Na verdade, é um processo que deve ser vivenciado por todos, com certeza; exatamente como uma coletividade.


APRECIEM Voragem em todas as plataformas digitais.


Nota: 5 acarajés.


Ficha Técnica:


Banda: Ipásia

Álbum: Voragem

Duração: 22 min 5s

Número de faixas: 6

Ano: 2021

Produção Musical: Ipásia

Arranjos: Ipásia

Captação: João Mário, Ipásia

Assessoria: PWR Records, Build Up Media

Capa: Cibele Nogueira