Recomendação - Bacurau


Quem nasce em Bacurau é o que? A resposta para essa pergunta vem de forma simples e inocente da boca de uma criança: "Quem nasce em Bacurau é gente". Gente essa que representa a todo o povo brasileiro que sofre de todos os lados, seja pela ignorância dos seus líderes que não entregam o devido cuidado com saúde, educação e segurança. O próprio povo cuida de si, se educa e cuida uns dos outros. Em Bacurau é a união que importa. E além disso, tem que lidar com estrangeiros que mal nos encaram como criaturas com o único objetivo de nos explorar. Em Bacurau não!


Bacurau foi um filme que assim que anunciado criou uma grande curiosidade do público por demonstrar elementos de ficção científica, suspense e ação e tudo isso num interior do Nordeste brasileiro! Bacurau tem 2 horas e 12 minutos de duração e foi dirigido e roteirizado por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. O elenco conta com nomes como Sônia Braga (maravilhosa), Udo Kier, Barbara Colen e Thomas Aquino.



Quando você pesquisa em qual gênero de Bacurau você vai encontrar: drama, faroeste, terror gore, fantasia e ficção científica. E é justamente o que eles entregam. Bacurau é um misto de sensações e emoções que você tem num mesmo filme. Normalmente, eu sentiria falta de um aprofundamento dos personagens mas em Bacurau isso não faz falta pois você entende que o grande personagem ali na verdade é a cidade e o povo que lá mora. É muito legal ver o Brasil produzindo um filme dessa forma, com histórias tão criativas e diferentes.


Dentre tantos acertos, um dos poucos erros que Bacurau comete e mais incomoda é justamente no ato final que prometia ser uma coisa grandiosa e memorável mas não passou de um momento simples e rápido. De certa forma até, anti-climático.


Isso não tira o brilho das histórias, impacto e presença dos personagens em Bacurau, com certeza quem assistir nunca vai esquecer o querido e amado Lunga, cangaceiro moderno.


Nota: 3 Acarajés e um Abará


por: Maurício Veloso