Review – D.P. Dog Day

Algumas expressões artísticas são tão fortes que nos dão reações físicas, seja um choro, uma crise de riso ou até mesmo arrepios. D.P. Dog Day (2021) é uma dessas obras que nos faz prender a respiração e mergulhar na narrativa, conquistando cada célula do seu corpo com apenas seis episódios.


D.P. Dog Day é baseado em uma webtoon (termo usado para descrever webcomics ou manhwas sul-coreanos que são publicados online) de Kim BoTong que leva o mesmo nome, onde temos Jung HaeIn (Something in the Rain, Sintonizada em Você) interpretando o protagonista, An JunHo, um jovem que se alista para o serviço militar (obrigatório na Coréia do Sul para homens a partir dos 18 anos, podendo ser adiado até os 28) e dentro do quartel é recrutado para servir para a “polícia”, a chamada Deserter Pursuit, ou seja, a unidade composta por soldados que perseguem desertores do serviço.


Trabalhando com a temática militar, a série toca em diversas feridas, como masculinidade tóxica, abuso da hierarquia, bullying e de forma muito palpável, os problemas psicológicos desenvolvidos dentro de espaços de poder. O primeiro episodio já dá o tom de toda a trama, abordando a procura por um desertor capaz de se manter completamente fora do radar por meses, mas que é pego numa câmera de segurança por pura coincidência. Assim, JunHo embarca em seu primeiro caso acompanhado de outro soldado, mas acaba se desviando do caminho, encarando uma tragédia anunciada que o marca pelo resto de seus dias.


D.P. Dog Day tem um elenco basicamente constituído por figuras masculinas, onde mulheres aparecem pontualmente, criando uma atmosfera de tensão intensa a cada minuto passado e ainda tem o bônus de carregar delineados de investigação criminal, nos presenteando com belíssimos personagens (que felizmente são bem explorados, na medida do possível), além de diversos questionamentos morais: a que ponto vai nossa cumplicidade com as opressões que atingem aos outros e até mesmo à nós mesmos? E, mais que isso, quais são as consequências de nossos atos?



A série não faz questão de usar eufemismos, muito pelo contrário; faz questão de esfregar na cara do expectador a dura realidade, sem muito rodeio. Uma menção importante deve ser feita a atuação de Cho HyunChul, quem interpreta o veterano de JunHo, Jo Sukbong, o personagem que, bem construído, dá uma das muitas possibilidades de realidade dentro do quartel em seu desenvolvimento decrescente e chocante.


A série vem como um grito de socorro, uma forma de manifestação das massas jovens, que cansadas e frustradas com os tratamentos dispostos nas camadas militares, reanimam o debate sobre o tema num país onde soldados homossexuais são abusados dentro das paredes do quartel e suicídios são cometidos por homens cujo serviço seria proteger e servir ao seu país. Do sistema criminal interno até as demandas hierárquicas, o questionamento que fica é: até onde vai sua honra? E quando você atinge o limite, para onde vai?


É importante frisar que a série pode causar gatilhos com suas cenas explicitas, mas em geral a abordagem é bem responsável, apesar do curto tempo de desenvolvimento disponível (o que são umas quatro horas e uns quebrados, sabe...). Os personagens te conquistam. Você vai se compadecer com o endurecimento do sargento Park BumGu (Kim Sungkyun), chefe da unidade e se sentir íntimo(a) do cabo Han HoYeol (Koo Kyohwan), quem é aparentemente tranquilo, mas se trata de uma figura importante e de referencia para o protagonista. Mas não nego que você também pode odiar profundamente outros personagens, mas há uma profundidade maior que o simples dualismo de bom e mal neles se dada a devida atenção.


D.P. Dog Day vai de encontro as narrativas do senso comum românticas com as quais estamos acostumados a ver diretamente relacionado aos doramas (designação dada aos dramas televisivos em língua coreana), apelando para um problema social da saúde mental do braço armado do Estado, algo que pouco vemos ser noticiado pela grande mídia, sempre colocado debaixo dos panos.


Nota: 4 acarajés.

Ficha Técnica

Título Original: 디피

Duração: 298 minutos

Ano produção: 2021

Estreia: 27 de agosto de 2021

Distribuidora: Netflix

Dirigido por: Han JunHee

Elenco: Jung Haein, Koo KyuHwan, Kim SungKyun, Son SeokKoo, Lee JunYoung, Hong Kyun

Classificação: 16 anos