Review - Gavião Arqueiro: Parceiros, Certo?

Atualizado: 10 de dez. de 2021



Hoje eu acordei com um dos meus casas Pierre me dizendo que a nova do (ou da. Vai saber) Gavião Arqueiro tinha sido a melhor até agora. Acredito que eu, você e o Zoboomafoo concordamos. Inclusive assisti o episódio duas vezes – legendado e dublado – e nunca esqueçam que a dublagem brasileira é maravilhosa.


O episódio entrega tudo. Vemos Clintão (Jeremy Renner) ganhando uma profundidade e a série vem sendo muito assertiva ao mostrar as dores de ser um dos Vingadores, além de uma cumplicidade com Laura (Linda Cardellini) que sabe o tamanho da importância do que seu marido faz e ajuda como pode. Mantendo o pique dramático, vive um drama a Kate Bishop (Hailee Steinfeld) que vai do céu ao inferno quase todo episódio e é possível comprar a empolgação dela, embora a gente saiba o quão perigoso é tudo aquilo. Elogiável a sinergia de Jeremy e Hailee, que foi bem mais intensificada nesse episódio, seja na parte dramática, no humor e piadas ou na porradaria.


Já que mencionei, vamo falar da única cena de dez minutos de trocação de soco sadia sem perder a amizade. Efeitos especiais, efeitos visuais e efeitos práticos no mesmo instante, seja no apartamento ou na laje, mostrando porque a Marvel tem o molho e suas séries não devem nada quando tem esse agito. Foi relativamente pouco, mas foi o suficiente.


Pra não dizer que não falei das flores, Florence Pugh aparecendo pra dar um oi bem rapidinho e lembrar a gente da cena pós-créditos de Viúva Negra, onde ela recebe uma informação sobre a morte da Natasha e a relação desse evento com o Ronin. Era uma das perguntas que a gente se questionava se iríamos ter resposta nessa série e tomara que seja respondida – desde já digo que fico um tico preocupado pra que não tenha excesso de informação e quebre o ritmo da série, mas já que levantaram essa bola que cortem.


Dois episódios restam pro fim da série. Muita coisa tem pra rolar. Muita mesmo. E como eu disse numa review, tudo indicava que não haveria espaço pra episódios de pura encheção de linguiça. O que seria um episódio inteiro mostrando apenas Kate na bad, na real vai ter muito mais coisa rolando e a série não perderá o ritmo. Longe disso, tudo indica que o ritmo vai acelerar ainda mais e confio no potencial da Marvel de não andar rápido demais, tropeçar e cair.


Obs.¹: Eu não tinha atentado pra uma coisa que José Lucas – da faculdade José Lucas – me disse sobre a relação do diálogo sobre a flechada não dada. Yelena hesita em atirar em Kate, que erra feio a flechada na Eco e hesita em dar uma flechada na Yelena também. Kate viveu os dois lados da moeda cantada por Barton.

Obs.²: Vai dizer que não ficou tentando acertar as coisas com uma moeda também? Acha que essa review demorou tanto por quê?

Obs.³: 3

Obs. Final: Série de investigação, de comédia, de drama e de ação. A Marvel entrega tudo e eu não sou louco de dar outra nota.


Nota: 5 acarajés.