Review - Gavião Arqueiro: Ecos


Hoje tem música. Sweet Gingerbread Man é a boa do dia. Gingerbread Man, em bom português é o Homem-Biscoito. Presente nas ceias de natal estadunidenses e nos filmes do Shrek - sendo interrogado sobre AQUELE soldado - mais próximos de você.


Enfim, num estalar de dedos Thanos cometeu o crime, fazendo com que metade do universo fosse dizimada, e metade da série também já foi embora. Ainda faltam três episódios e muitas perguntas que precisam de resposta, ou seja, tem tudo pra manter um ritmo massa e evitar aquelas barrigas – aqueles episódios que não acontecem nada de útil pra trama – propiciando um tempo pra que tudo se desenrole bem e que muita pancadaria role daqui até o final.


Falando em pancadaria, as cenas de ação de Ecos são maravilhosas. Dignas de cinema. O plano-sequência no carro e aquela flecha Pym foi coisa linda. Além disso, fomos apresentados a Maya (Alaqua Cox), que também é conhecida nos quadrinhos como Eco, filha adotiva do Rei do Crime. Ela apareceu no final do segundo episódio e vimos, em poucos segundos, quem ela é e porque ela teria motivos para matar o Ronin, vulgo Clint Barton (Jeremy Renner). Embora rápido, nada tão acelerado.


Esse episódio da série deu uma base legal do que pode vir daqui pra frente, expondo um ótimo panorama sobre os problemas que cercam o Barton e que ele colecionou inimigos nos tempos do Ronin. Tudo isso podendo ter relação direta com Kate Bishop (Hailee Steinfeld), prometendo muito pros próximos episódios da série do (ou da. Vai saber) Gavião Arqueiro e, talvez quem sabe, pro futuro do MCM (a Marvel não dá ponto sem nó e cansamos de aprender essa lição).


Obs.¹: Eu e o amigo, já conhecido do leitor viajante, José Lucas – da faculdade José Lucas – teorizamos sim sobre a possível aparição do Rei do Crime na série. Vem aí? Ficaremos com Deus? De todo modo, como padrão, só escrevo sobre após se tornar factível. Obs.²: Muitas cenas estão acontecendo diferente dos trailers de divulgação da série. Isso tá incluso na Fórmula Marvel, gente. Obs.³: 3 Obs. Final: Sigo pensando naquela cena de plano-sequência no carro. Sou cadelinha demais pra não voltar a dar nota máxima pras coisas da Marvel.


Nota: 5 acarajés.