Review - Loki: Jornada ao Mistério


LOKI PARA PRESIDENTE!

(Embora tenha sido engraçado o golpe que deram no Presidente Loki)


Jornada ao Mistério é o nome perfeito para este episódio. Começando pelo fato do episódio ter centenas de easter-eggs - algumas delas podem ser de relevância pro futuro do MCU, inclusive - e me lembrei do Mysterio, aquele vilão do filme do miranha. Foi da boca dele que ouvimos falar de multiverso no MCU pela primeira vez. À conferir se ele vai brotar mesmo ou não (Certeza que não, mas achei importante fazer tal menção). De todo modo, a jornada que Loki, Sylvie e companhia limitada (incluindo o Mobius) estão caminhando, no fim das contas, é um grande mistério e só na semana que vem saberemos se ele será descoberto, ou não.


Mais uma vez, pouca ação, muito alívio cômico (inclusive talvez mais no que nos episódios anteriores) e, como em quase em todos os outros, as coisas se resolvem no próprio episódio. Obviamente que deixam pontas soltas pro que vem aí, mas confesso que fiquei meio temeroso sobre a batalha contra Alioth ficar pra semana seguinte, por exemplo. Felizmente não aconteceu e vimos algo que o Old Loki demonstrara, embora a série tenha sido construída para chegar nisto também, que é o fato do Loki ser mais poderoso do que pensa. A Sylvie desenvolveu seus poderes sozinha durante sua vida, o Old Loki era bastante poderoso - a ponto de "reconstruir" Asgard - e isso mostra que o fato do "casal" protagonista terem destruído aquele moinho de vento juntos não foi uma espécie de Deus Ex-Machina.


Então... Sabe as easter-eggs que falei lá em cima? Várias delas são bastante determinantes para entender onde os personagens estão, exatamente: Numa terra alternativa, perto do fim dos tempos. A parte do fim dos tempos foi explicado durante o episódio, mas a Torre Qeng não. Semana passada eu falei da Torre Stark, que pouca gente reparou na cena pós-créditos. Em um dos arcos dos Vingadores nos quadrinhos, Tony Stark, nessa terra alternativa, vendeu sua torre para Mr. Gryphon, também conhecido como Nathaniel Richards, também conhecido como Kang, o Conquistador (A sonoridade similar de Kang e Qeng não é coincidência), também conhecido como o pai de Reed Richards. Que o Kang vai brotar no MCU já é certo. Se já vai ser no último episódio de Loki, aí não sei. Prefiro deixar as especulações pro Twitter. O fato é que ali é a Torre Qeng, em vez da Torre Stark... Mas surtei mesmo foi com o helicóptero do Thanos, embora me pareça nada mais do que um belíssimo fan service.


Continuando com os fatos, o roteirista da série está muito que de parabéns, pois está sabendo explicar tudo que tá rolando e deixando as interrogações certas em quem assiste. O último episódio tá iminente e não sabemos quais são as verdadeiras intenções de Ravonna e, embora ela tenha armado uma arapuca pra cima da Sylvie, é visível que ela também tem muitas dúvidas, mas de que lado ela está é um mistério. Além disso, ver Mobius vivo foi um alento e como ele vai destruir a TVA por dentro é um mistério. O caminho está aberto para Loki e Sylvie responderem os seus (e os nossos) questionamentos, destruir a TVA por fora e o que vai acontecer depois com eles, com as linhas temporais e o MCU, como um todo, é uma grande jornada ao mistério.


Obs¹: Hoje não teve trilha musical, mas a trilha sonora foi impecável.

Obs²: Um mundo cheio de Lokis e todo mundo trapaceando contra todo mundo foi uma das melhores coisas da série.

Obs³: Seguindo a linha dos Lokis, a sintonia do Loki com Young Loki, Old Loki e o Loki Vacinado foi sensacional. Mérito total aos atores... E quero mais de Loki Vacinado, tanto quanto Throg (Aquele Thor sapo que aparece tentando pegar o Mjölnir).

Obs. Final: O Old Loki (F no chat) "reconstruindo" Asgard quase me fez chorar. Um grande acerto ao dar a profundidade a esse personagem, que foi extremamente necessário pro desenvolvimento do Loki no episódio.


Nota: 5 acarajés