Review - What If...?: O Que Acontecera Se... Dr. Estranho Perdesse o Coração, Em Vez de Suas Mãos?

Antes de qualquer coisa, lhes aviso que estou escrevendo esta review ao som desta: Oasis - Stop Crying Your Heart Out. Recomendo que leia esse texto ouvindo essa música, que se encaixaria perfeitamente no episódio de hoje (Inclusive obrigado José Lucas - que estudou na Faculdade José Lucas).


Já começo dizendo que esse é o melhor episódio de serase e por muito!


Esse episódio lembra bem o primeiro, onde vimos uma história focada apenas em um personagem e reconta (em cinco minutos, ou menos, e de outra perspectiva) o primeiro filme do Doutor Estranho. Se aparecem outros personagens e mistura de universos, são em poucas cenas (inclusive uma nova aparição do Shuma-Gorath, que vimos no finalzinho do episódio um). A diferença é que o evento que "muda" tudo aconteceu antes do episódio começar, que é o Stephen Strange apaixonado, que levava a Christine pra outros lugares, além de premiações que inflam o próprio ego.


Ai nos remetemos aos questionamentos do Vigia, no começo do episódio

"Mas e se for a escolha errada?

E se a melhor das intenções tiver consequências muito estranhas?"


É a partir daí que a desgraça começa. O Stephen vira o Doutor Estranho (naquela parte de cinco minutos ou menos que falei lá em cima) com o objetivo de trazer a amada de volta a vida, ou pelo menos evitar que ela morra no bendito acidente... E todas as vezes sem sucesso. O motivo é paradoxal e é quando o episódio começa a se tornar brilhante, porque o que motivou ele a se tornar o Doutor Estranho era a justificativa para que a morte da Christine se tornasse irreversível - usando as palavras da Anciã: Um ponto absoluto no tempo.


Com isso vimos um episódio recheado de nuances e características que - embora tão opostas, às vezes, como alívios cômicos e momentos que podem lhe fazer chorar em posição fetal - se completaram perfeitamente. O Stephen cego de amor ultrapassando os limites para trazer a amada de volta, sem entender que seria inútil pois causaria a destruição do universo, ao mesmo tempo que o outro Stephen tenta superar o ocorrido de dois anos atrás. Sem contar o embate entre os dois, que é uma coisa belíssima.


Inclusive a parte visual do episódio é uma das coisas mais lindas que eu já vi no MCM, desde a biblioteca até a parte das lutas, incluindo os monstros absorvidos pelo Doutor Estranho, sem esquecer a parte do diálogo entre Doutor Estranho e o Vigia que tem um belíssimo visual (sem esquecer o tamanho da demonstração do poder de Strange). Tudo isso fruto das possibilidades que ser uma série animada facilitar o processo.


Tudo isso gerou um episódio extremamente corajoso, lindo, engraçado, emocionante, que ensina coisas e, com toda certeza, vai mexer quem o assiste.


"Uma vida, uma escolha, um momento podem destruir todo o universo."


MARVEL, SUA DESGRAÇADA, EU TE AMO!


Nota: 5 acarajés