TBT - Um Príncipe em Nova York



Zamunda Forever!

Comecei assim pra que esse filme seja sempre lembrado na Sessão da Tarde ou na Netflix. Só que, diferente de Wakanda (Forever), pouco se mostra do povo do reino desse país inserido na geografia do filme, embora é um reino onde pretos no poder e a realeza é cheia de regalias... Regalias até demais, que fazem o Príncipe Akeem querer vir aos EUA, atrás de um verdadeiro amor, porque sabe que as futuras princesas/rainhas que vão até o reino de Zamunda tentar arranjar um casamento com ele, estão aos seus pés por puro interesse.


Durante sua saga no Queens (Local escolhido não por acaso, devido ao seu nome - "rainhas", em português), o príncipe em Nova York descobre que há pessoas interesseiras em todo o mundo e o filme é muito feliz nas suas críticas quanto a esse ponto, além de trazer questões sobre a meritocracia, implícito no romance "impossível" pra uns entre um faxineiro (e que, pra muitos, não vai passar disso, por mais que mereça) e a herdeira de uma rede de fast-food bem sucedida. Falando em questões em que o filme passa, é possível trazer questionamentos sobre muitos outros pontos, principalmente sobre a aceitação do povo preto, como numa cena da barbearia, onde quem está lá discute o fato de Cassius Clay negar seu "nome de escravo" e querer ser chamado de Muhammad Ali.


Isso tudo num filme com Eddie Murphy no seu auge, fazendo uma bela dupla com Arsenio Hall (Não. Não é o Wesley Snipes), numa excelente comédia, que é caricata e, embora propositais, tem seus exageros, entretanto faz você se divertir, mesmo sem levar em conta as questões trazidas acima. Apesar de você já ter visto e revisto umas 500x na Sessão da Tarde, o mundo atual deve lhe fazer prestar atenção no longa com outra ótica, mas você se diverte do mesmo jeito de tão boa comédia que ela é.


Premiações: 9 a cada 10 pessoas que perguntei se já assistiu se pocaram de rir e pra mim isso basta... Mas se tá pouco, o filme tem duas indicações ao Oscar por Melhor Figurino e Melhor Maquiagem.


Nota: 4 Acarajés


por: David Zuco